...

Precisei colocar a moderação nos comentários por causa de alguns spans que pintaram por aqui.
Você, que não é spam, faça o seu, fique a vontade.
Namastê.

Consagração do ambiente

As previsões feitas nesse blog são gerais, falam do astral do período, não são direcionadas para o indivíduo. Para fazer previsões pessoais, você precisa consultar um(a) astrólogo(a) ou numerólogo(a) e usar seu mapa astral ou numerológico de nascimento. Não estou atendendo consultas até me aposentar, estou em outro trabalho. Faço o blog porque gosto.

O som das Fadas da Noite

domingo, 11 de outubro de 2009

VIRGEM, o Sexto Trabalho de Hércules: Apoderando-se do Cinto da união

Objetivo: viver o amor superando o antagonismo dos sexos como opostos.

A promiscuidade pode trazer muita dispersão de energia criativa, quando o sexo é usado obsessivamente para obter seu próprio prazer e como instrumento de posse do seu par. 


A energia abaixo do umbigo é muito criativa e poderosa, podendo ser utilizada para muitas finalidades além do puro prazer físico.

Nesse Trabalho, após a experiência marcante com o leão de Neméia, Hércules está mais seguro de si mesmo. 


Mas essa é uma aventura diferente e muito forte, mesmo que com o touro da ilha sagrada ele já tenha lidado com essas forças, dominando-as até certo ponto.

Em uma praia, existia uma rainha, que era líder de bravas guerreiras mulheres. 

Nenhum homem morava ali. 
As mulheres construíram um grande templo ao deus da guerra, a quem ofereciam sacrifícios diariamente. 
Como os homens não entravam ali, uma vez por ano as guerreiras iam à aldeia vizinha, para serem fecundadas.

Um dia, voltando da aldeia, a rainha lhes anuncia uma visita: Hércules está vindo. 

Do alto da escada, a rainha comunica às guerreiras que, por ordem do Deus Supremo, deverá entregar a Hércules o cinto simbólico que ela usava.” Devemos cumprir a ordem e entrega-lo a Hércules, ou não?” perguntou às guerreiras.
Enquanto todas refletem para ter uma ação conjunta, Hércules chega, antes da hora combinada, impossibilitando que elas pudessem se manifestar.
Buscando o cinto precioso, ele vai direto à rainha, luta com ela, enquanto a rainha tenta lhe transmitir palavras gentis.
Ele puxa o cinto com violência, imaginando que ela estava se negando a entrega-lo.

Depois descobre que ela já estava vindo ao seu encontro para fazer isso. 

Mas agora era tarde, e a rainha estava morta.

Um pouco envergonhado, sem jeito, ele parte, em silêncio, com o cinto.
Atrás de si ficam as guerreiras, tristes por terem perdido sua rainha.
Sem o seu comando, vão sentir muita falta também do amor que ela lhes dedicava.

O cinto simbolizava a unidade e o amor.
E Hércules sacrifica justamente aquela que vem lhe dar o que estava buscando.

O Instrutor lhe pergunta: “Por que você mata o que lhe está próximo, que lhe é tão querido e necessário?”

 “Por que você mata aquilo que ama?” 
Sem resposta.

Hércules ainda não compreende sentido da vida.

A tarefa é considerada um fracasso.

Por isso, é pedido a Hércules que se redima do seu fracasso, sob a pena de não ver nem ouvir mais seu Instrutor.

Hércules volta, de cabeça baixa e passos lentos, para a praia.
Antes de chegar, vê uma moça jovem sendo engolida por um monstro que vem das profundezas, enquanto ela grita pedindo por socorro.
Esquecendo seu arrependimento, ele corre tentando alcançar o monstro, mas a moça é engolida, descendo pela garganta do monstro, que mais parece uma caverna sem fim. 

Hércules insiste, e se joga na garganta do monstro, encontrando a moça ainda viva.
Segura a jovem junto de si enquanto com a outra mão abre a barriga do monstro usando uma espada. A moça está salva.

Nesse momento, ele ouve a voz do Instrutor lhe dizendo que essa façanha equilibra sua ação anterior, que acabara matando a rainha das guerreiras.

Com surpresa, Hércules percebe que cada ato seu se reflete nos confins do Universo, em vários níveis de consciência.
E que a prática da harmonia equilibra a desarmonia.
Com isso, ele pode descansar por algum tempo.

No segundo Trabalho, confrontando a energia sexual, Hércules estava vivendo um estágio preparatório. 

O trabalho com a energia sexual é muito longo.

Nesse Trabalho, Hércules tem que lidar com o antagonismo dos dois sexos, a ignorância sexual e o verdadeiro papel do sexo.
Hércules matou a rainha sem nem se dar conta do que estava fazendo..

Tanto a eletricidade, como a energia sexual apresentam suas polaridades: a positiva e a negativa (eletricidade), a masculina e a feminina (sexo).
A eletricidade é a mesma, manifestando-se de maneira diferente.
Assim também com a energia sexual.

As pessoas têm traços masculinos (coragem) e femininos (ternura), positivos e negativos.

Reconhecer esses aspectos dentro de si mesmo é o princípio do trabalho da união.

Exemplo:
Características Psíquicas
Masculina Positiva: Generosidade Feminina Positiva: Economia
Masculina Negativa: Dureza de coração Feminina Negativa: Mesquinharia

Características Mentais
Masculina Positiva: Lógica Feminina Positiva: Intuição
Masculina Negativa: Insensibilidade Feminina Negativa: Confusão mental.

A superação de uma característica negativa é feita pelo desenvolvimento da positiva equivalente, na polaridade oposta, trabalhando apenas uma de cada vez..

Não deve insistir nesse trabalho se houver resistência da personalidade.

O cinto é a união das duas polaridades.

A rainha ao decidir entregar o cinto, não é movida por uma decisão interna, mas por uma ordem superior, ela obedece.

O amor não obedece, ele apenas ama. 

Devido a essa limitação, a rainha morre, deixando as guerreiras sem comando.

As guerreiras iam uma vez ao ano na aldeia vizinha por uma razão utilitária, a de se reproduzir.
Mas o amor não é utilitário, ele não tem utilidade nenhuma, e também não tem explicações. 

Ele é, em si mesmo, seu próprio motivo.

Hércules ainda não equilibrou suas polaridades. 

Matou sem necessidade, não compreendendo a sua própria função diante do sexo.

Quando a pessoa acredita que outra pessoa pode lhe completar e assim chega ao sexo, buscando a união, mas sem equilibrar dentro de si as próprias polaridades, passa uma série de experiências decepcionantes.

A nível de alma, uma alma não busca outra alma, mas seu próprio centro, onde encontra a presença de outras almas.e sua própria complementação.

Este Trabalho também fala a respeito de carma, ou equilíbrio das ações.


A toda a ação corresponde uma reação igual e contrária (Newton).
Por isso, o Instrutor pede a Hércules que corrija seu próprio erro.

Diferente de Áries, ele já está maduro para conseguir fazer isso.

No sexto Trabalho, Hércules deve buscar o equilíbrio entre yin e yang, e pode fazer isso tanto desenvolvendo dentro de si as duas polaridades em harmonia, como também corrigindo seus próprios erros.

Namastê!

Nenhum comentário: